Após união das chamas, tocha paralímpica inicia revezamento no Rio

Após passar por todas as regiões do País, a tocha paralímpica chegou nesta terça-feira, 6, ao Rio de Janeiro. Em uma cerimônia no Museu do Amanhã, na Praça Mauá, as chamas de cada região se juntaram para unir os valores paralímpicos, representados por cada cidade do revezamento: a chama de Brasília representa igualdade; a de Belém, determinação; Natal, inspiração; Joinville, coragem; São Paulo, transformação e a do Rio de Janeiro representa a paixão.

Com a união de todas as chamas, foi acesa a tocha que deu início ao revezamento na capital olímpica. A arquiteta especialista em acessibilidade Gabriella Zubelli iniciou o revezamento após receber a tocha das mãos do ator e judoca Breno Viola, que tem síndrome de Down. No total, mais de 700 condutores participaram do revezamento da tocha.

A passagem da tocha paralímpica começa pelo centro da cidade, seguido de 12 bairros das zonas Norte, Sul e Oeste do Rio: Vila Isabel, Grajaú, Bangu, Realengo, Magalhães Bastos, Deodoro, Madureira, Recreio, Barra, Leblon, Ipanema e Copacabana. O bloqueio das vias começa uma hora antes do comboio passar por cada local.

Confira o trajeto da tocha paralímpica no Rio de Janeiro:

Dia 6:

10h – Cerimônia de união das chamas e formação da chama Paralímpica no Museu do Amanhã
10h30 – Início do revezamento no Centro – do Museu do Amanhã à Lapa
12h50 – Revezamento da Vila Isabel para o Grajaú
13h50 – Deslocamento do Grajaú para Campo Grande
15h30 – Revezamento em Campo Grande
16h – Deslocamento de Campo Grande para Bangu
16h30 – Revezamento de Bangu para Deodoro
18h50 – Deslocamento de Deodoro para Madureira
19h15 – Revezamento em Madureira
20h – Cerimônia de Celebração no Parque de Madureira

Dia 7:

Pela manhã a partir de 8h20
– Recreio e Barra da Tijuca
A tarde a partir de 12h40:
– Leblon, Ipanema e Copacabana